/> Fenômeno 'Lua - de sangue - BLOG DESPERTAI

SAÚDE

Fenômeno 'Lua - de sangue

Eclipse lunar total, fenômeno conhecido como 'Lua de sangue', é observado na cidade de Urasoe, em Okinawa, no Japão, neste sábado (4) (Foto: AP Photo/Kyodo News)
Em seu ponto mais próximo da Terra, a Lua, que estará grande e luminosa, se vestirá de vermelho no final deste domingo (27) em um eclipse total, um fenômeno magnífico que só voltará a acontecer em 2033.As condições convergem para que seja um eclipse espetacular", garantiu o astrônomo Pascal Descamps, do Observatório de Paris, à agência AFP.

O eclipse total da Lua poderá ser observado durante mais de uma hora, por volta das 23h11 até 0h23 (horário de Brasília), do continente americano até o Oriente Médio. Segundo o astônomo Cassio Barbosa, autor do blog Observatório, o Brasil estará em situação privilegiada para acompanhar o evento.
A Lua não produz luz própria, aproveitando a que recebe do Sol. No domingo, o astro estará alinhado com o Sol e a Terra.

"Teremos um eclipse total porque a sombra da Terra engolirá toda a Lua", explicou à AFP Pascal Descamps. "A circunferência de sombra da Terra mede aproximadamente três vezes o tamanho aparente de nosso satélite", afirmou, podendo absorver a totalidade da Lua.
A Lua vai desaparecer do nosso campo de visão, privada dos raios solares, e reaparecerá pintada de vermelha - por isso, também é conhecida como "lua sangrenta" ou lua de sangue.
O vermelho se deve a um fenômeno luminoso. É pela refração dos raios solares que atravessam a atmosfera , com exceção dos vermelhos. Estes últimos sofrerão outro fenômeno: a atmosfera os desviará e iluminarão a superfície lunar.É interessante porque a cor da Lua vai depender do estado da atmosfera terrestre. Se está carregada de partículas, devido, por exemplo, à poluição, os raios vermelhos também serão refratados e não alcançarão a lua", explicou o astrônomo.
"Se o astro é vermelho sangue, poderemos ficar tranquilos sobre o estado atmosférico da Terra. Se é muito escuro, ou quase invisível, é porque é realmente catastrófico".
Sem perigo 
Como a Lua estará em seu ponto mais próximo do nosso planeta, o que se conhece como o perigeu, por isso ficará maior do que de costume e mais brilhante no céu. "Nos parecerá cerca de 14% maior e 30% mais iluminada", explicou Sam Lindsay, da Real Sociedade Astronômica de Londres.O fenômeno, conhecido também como superlua, está relacionado à órbita ligeiramente elíptica da Lua: este satélite gira ao redor da Terra, mas ele faz isso em um círculo formando um ovo, que se afasta e está constantemente em nosso planeta.
A última combinação de um eclipse lunar e uma superlua remonta a 1982, segundo a Nasa, e a próxima não ocorrerá antes de 2033. "Toda uma geração nunca viu esse fenômeno", disse Noah Petro, do projeto Orbitador de Reconhecimento Lunar (LRO) da Nasa.
Os eclipses foram durante muito tempo objeto de interpretações religiosas, mitológicas ou simbólicas. "Ao longo da história, muitas culturas consideraram os eclipses como sinais de tristeza e desgraça", lembrou à AFP Noah Petro.
Cristóvão Colombo, que tinha um calendário de eclipses, se aproveitou destas crenças para persuadir os habitantes da Jamaica. Para conseguir mais comida, ameaçou os indígenas dizendo que faria a Lua desaparecer durante a noite de 29 de fevereiro de 1504. "Quando os jamaicanos pediram a ele para que a Lua voltasse, pediu mais comida em troca e conseguiu", contou o cientista.
Espetáculo para todos
Neste final de semana não há o que temer. Nem mesmo nossos olhos. Os elipses lunares não apresentam risco algum, ao contrário dos solares. "Não é como olhar para o Sol", garantiu Sam Lindsay, da Real Sociedade Astronômica de Londres. "Dá para usar binóculos, telescópios, tudo o que for necessário".

Como apreciar o fenômeno
"É um espetáculo para todo o mundo, é gratuito. Basta colocar a cabeça para fora", concluiu Pascal Descamps.
Segundo Cassio Barbosa, bastam céu limpo e horizonte aberto para que o espetáculo esteja garantido. "Esse é um dos eventos astronômicos em que não é preciso nenhum tipo de equipamento, basta que o céu esteja limpo e que você consiga ver a Lua no céu. Claro que a festa fica ainda melhor se houver uma luneta ou telescópio disponível. Nesse caso dá para ver a sombra da Terra percorrendo a superfície lunar, cobrindo as crateras, vales e montanhas conforme a Lua e a Terra se movimentam", afirma o astrônomo.
Ele recomenda o uso de uma cadeira de praia ou espreguiçadeira para que a observação fique mais confortável.
Se chover, é possível acompanhar o eclipse na internet. Vários sites farão transmissão ao vivo do evento. Um deles é o site da revista Sky & Telescope, que começará a transmitir o evento às 22h deste domingo.


Quarta Lua de Sangue traz a tona teorias religiosas e apocalípticas; fenômeno poderá ser visto em todo o paísO ano de 2015 foi cheio de eventos astronômicos, desses que enchem o céu de luz ou o transforma em uma escuridão profunda. Neste domingo (27) mais um desses fenômenos naturais vai acontecer e ele está ligado a outros três anteriores. Está curioso? Hoje, qualquer um no Brasil, ao olhar para cima verá um grande espetáculo chamado de “A lua de sangue”, evento que além da beleza, para alguns também tem significado bíblico e apocalíptico.

Leia mais:
Final de semana terá eclipse lunar total e 'Super Lua de Sangue'
Eclipse lunar poderá ser visto em Cuiabá a partir das 17h30


Para a ciência, a Lua de Sangue nada mais é do que um eclipse lunar, onde a Lua é ocultada pela sombra da Terra. Isso ocorre quando Sol, Terra e Lua, respectivamente, estão em perfeito alinhamento. No caso da Lua de Sangue, a cor avermelhada da Lua se dá por causa da filtração dos raios solares, realizada pela atmosfera da Terra no momento do eclipse, fazendo com que eles se tornem mais avermelhados ao iluminá-la.

Esta Lua de Sangue é um evento raro, dentro dos eventos raros. Não entendeu? Vou explicar. Ela é a quarta de uma sequência de eclipses, ou seja, de uma tétrade. Mas e por que isso é tão raro? Porque segundo pesquisas científicas, eclipses solares e lunares só acontecem a cada 18 anos, sendo possível prevê-los. Mas, como apontado, este é o quarto eclipse lunar em um ano, fazendo deste o fim de um ciclo, de uma tétrade. 

Para os místicos e religiosos, eventos astronômicos quase sempre significam algo a mais do que para a ciência. O pastor e escritor estadunidense John Hagee, afirmou em declarações a imprensa que, cada vez que esse evento ocorreu, o povo de Israel experimentou uma grande mudança e aponta acontecimentos como a expulsão dos judeus da Espanha, a criação do Estado de Israel e a Guerra dos 6 dias, como prova disso.

A bíblia, por exemplo, tem muitas citações em que eventos astronômicos são mencionados, como:

"Ele fez a lua para marcar o tempo". (Salmo 104:19).
"E haverá sinais no sol e na lua e nas estrelas". (Lucas 21:25).
"O sol escurecerá, e a lua não dará a sua luz, e as estrelas cairão do céu, e os poderes dos céus serão abalados". (Mateus 24:29).
"O sol se converterá em trevas, e a lua em sangue, antes do grande dia da vinda do Senhor ". (Atos 2:20).


Esta Tétrade em específico tem um significado especial para os judeus, pois as “Luas Sangrentas” coincidem com datas do calendário judaico. Primeira em 15 de abril de 2014, coincidindo com a Páscoa judaica. Segunda em 08 de outubro de 2014, coincidindo com a festa judaica dos Tabernáculos. Terceiro em 04 de abril de 2015, mais uma vez coincidindo com a Páscoa judaica. E a quarta, neste domingo, 27 de setembro de 2015, novamente coincidindo com a festa judaica dos Tabernáculos.

Mas calma, existe outro lado da história, pois a ciência tem uma explicação para todas essas coincidências também. Segundo cientistas, boa parte das religiões sempre usaram a Lua como marcos cíclicos e de eventos festivos, e por essa razão os eclipses eventualmente coincidem com essas datas, e não há nenhuma razão mística nisso.

Então, depois de tudo isso, em que você acredita? Independente disso, não perca o espetáculo no céu neste domingo, que começa por volta das 22h, podendo ser visto em todo o país.